DST’s mais comuns: saiba como se prevenir no carnaval!

fevereiro 20, 2020
DST's mais comuns

Segundo o Unaids, das Nações Unidas, o Brasil registrou um aumento de 21% nos casos de HIV entre 2010 e 2018. Mas o HIV não é a única entre as DST’s mais comuns: a sífilis, por exemplo, é a doença com mais casos no país.

Além disso, o próprio termo DST está sendo “renovado” pelo Ministério da saúde, que desde 2016 utiliza Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST’s). Essa mudança ocorreu pois a nova nomenclatura é mais abrangente a pessoas que possam ter ou transmitir algo sem apresentar sinais e sintomas. 

A explicação é da Dra. Nathalia Schneider, Ginecologista e Obstetra, que destaca as principais ocorrências no país: herpes genital, a sífilis, a gonorréia e clamídia, a tricomoníase, a infecção pelo HIV, a infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV) e as hepatites virais B e C.

DST’s mais comuns no Brasil

Os índices de DST’s no Brasil preocupam cada vez mais. Segundo o Ministério da Saúde, a população entre 25 e 39 anos deve redobrar a atenção pois é a mais frequente entre os dados de doenças transmitidas pelo sexo.

Conforme aponta a Dra Glaucia Alves de Carvalho, Ginecologista e Obstetra, algumas doenças são mais conhecidas do grande público:

  • HIV/SIDA;
  • HPV;
  • Clamídia;
  • Gonorréia;
  • Hepatite B;
  • Sífilis;
  • Herpes Genital;
  • Tricomoníase.

Embora algumas sejam mais frequentes do que outras, o cuidado com todas deve ser igual. No carnaval, elas ficam ainda mais comuns. “Na minha experiência, noto aumento nos casos de herpes genital e HPV nesta época”, destaca a Dra Glaucia.

Prevenção é fundamental

As DST’s mais comuns no Brasil não se manifestam apenas no carnaval, é claro. Contudo, nessa época a transmissão pode aumentar, por isso as campanhas focam especialmente na prevenção.

A Dra Nathalia explica que uma pessoa aparentemente saudável pode também estar infectada. Por isso, o uso de preservativos em qualquer relação sexual é o único método eficaz de prevenção.

As IST’s, conforme a nova denominação, podem atingir qualquer pessoa. Por isso, Nathalia destaca a importância da conscientização mesmo em relacionamentos monogâmicos. “Percebo muitas mulheres abrindo mão do uso de preservativo para agradar o parceiro. Porém, insisto que a maior prova de cuidado consigo e com o outro é se posicionar e não ceder, tornando a prática sexual mais saudável”, salienta.

Já a Dra Glaucia destaca o alerta para a população jovem que não viveu a epidemia da AIDS na década de 80. Para ela, isso justifica que sejam menos adeptos à adesão do preservativo, mas ainda é uma atitude incorreta.

Exames em dia

Ambas profissionais salientam a importância do diagnóstico das DST’s mais comuns e até mesmo aquelas menos frequentes. A Dra Nathalia reforça que algumas dessas doenças podem não apresentar sintomas em fases iniciais. Portanto, o ideal é manter os exames laboratoriais em dia.

A Dra Glaucia afirma que tudo depende dos fatores de risco e exposição de cada pessoa na hora de procurar os exames. ‘A avaliação deve ser individualizada, feita através de consulta médica com anamnese, exame físico e coleta de material para testes laboratoriais quando necessário”, explica ela.

Dicas para aproveitar o carnaval

Ainda é possível aproveitar o carnaval de forma responsável e com menos risco de exposição às DST’s. Mas é claro que para isso é importante ficar atento a algumas dicas que aumentam a segurança da saúde!

Usar camisinha

Além de ter sido reforçado pelas especialistas em Ginecologia e Obstetrícia, o uso da camisinha nunca é demais! O ideal é que seja utilizado inclusive durante o sexo oral, pois previne não apenas a AIDS, mas também uma série de outras DST’s.

Evitar contato em banheiros públicos

Os banheiros químicos/públicos são muito comuns nesta época para quem aproveita o carnaval. Porém, tenha atenção e evite contato com os assentos. Procure lavar sempre as mãos após o uso e, se possível, carregue um pequeno álcool em gel com você.

Não utilizar objetos compartilhados

Copos, toalhas ou até mesmo roupas íntimas não devem ser compartilhados! Mesmo que você esteja viajando entre amigos, evite isso e tenha seus próprios objetos e acessórios. Isso é importante pois muitas IST’s também são transmitidas pela saliva.

Evitar passar muito tempo com roupas úmida

O uso de roupas íntimas úmidas pode favorecer o surgimento da candidíase, por exemplo. Por isso, após banhos de piscina ou na praia o ideal é tomar banho no chuveiro, secar-se e trocar de roupa.

HPV: alerta para o câncer

Entre as DST’s mais comuns, vale destacar o Papilomavírus, conhecido por HPV. Essa doença merece atenção especial pois o seu quadro pode evoluir para o câncer de colo do útero.

Além disso, o HPV está entre as principais doenças sexualmente transmissíveis, o que aumenta o seu alerta. A maioria das pessoas sexualmente ativa já entrou em contato com o vírus pelo menos uma vez, para se ter ideia.

Contudo, nem sempre o HPV evoluiu para o câncer, mas é importante ficar atento a lesões que possam surgir na pele. Caso isso aconteça, principalmente após o carnaval, o indicado é procurar um especialista para avaliação física.

Previna-se e não fuja do diagnóstico!

Além da prevenção, lembre-se sempre da importância do diagnóstico precoce. Muitas pessoas fogem disso com receio do resultado positivo, mas o melhor é sempre tratar-se! 

Após o carnaval, caso você sinta alguma alteração na saúde, lesões ou coceira na região íntima, procure marcar uma consulta com especialistas. Essa é a melhor forma de cuidar da saúde! Aproveite e conheça a marcação de consulta online do Fácil Consulta para encontrar os melhores profissionais da sua região!

Você Também Pode Gostar

Nenhum Comentário

Deixe uma Resposta